Não se cobre tanto | Por Priscila Tescaro, consultora

Todo início do ano a história se repete: promessas de ano novo, desejos para fazer diferente, ser mais produtiva, ser mais organizada e dar conta de todos nossos papeis – mãe, mulher, profissional, esposa, amiga, filha, irmã…. e daqui 3 meses todos os planos foram por água abaixo porque não é possível ter uma vida de Instagram, perfeita em todos os sentidos e ainda dormir 8 horas por noite e tomar 2 litros de água.

Eu já fui assim. E aprendi, a duras penas, a relaxar e viver.

Isso não significa que não faço meu planejamento anual entre dezembro e janeiro. Anualmente escrevo minhas metas para os próximos 12 meses e separo por áreas: carreira, maternidade, família, pessoal, saúde, espiritualidade. Mas esse planejamento não é rígido e nem escrito em pedra. Ele é meu guia para saber onde desejo estar em dezembro do próximo ano. Mas desde 2015 aprendi que ele deve ser meu roteiro e que é adaptado sempre que eu quiser ou precisar.
Se você está no momento de vida que eu vivi lá em dezembro de 2015 minha sugestão é parar e respirar. Mais uma vez. E mais uma. Depois, o próximo passo foi aceitar que nada está sob o nosso controle. Para mim, traçar uma rota é fundamental para dar segurança emocional no meu dia a dia. Eu preciso saber quais são minhas metas para os próximos meses, semanas, dias, e quais são as ações que devo realizar. Mas, se algo sai da rota, já não sofro mais. Especialmente no planejamento da minha empresa e da minha carreira.

Vivemos em uma era de transformações

As mudanças são tão rápidas que planejar os próximos 5 anos é quase impossível. Podemos traçar uma rota para os próximos 3 anos e fazer os ajustes necessários com as surpresas que a vida nos apresenta. Este texto não é para te desanimar e fazer você entrar no modo “deixa a vida me levar”. Eu sou adepta de planejar e estabelecer metas e objetivos. Mas aprendi – e acredito ser importante compartilhar – que deixar os planos “mais frouxos”pode ser um importante aliado à nossa saúde mental e, consequentemente, à nossa realização. Quando baixamos a guarda, conseguimos enxergar melhor o que está à nossa frente e agir fica mais fácil e melhor.
Um beijo, Pri Tescaro.

Priscila Tescaro é jornalista, especialista em Marketing, Planejamento e Estratégias para pequenos negócios e profissionais liberais. É empresária desde 2012, quando criou sua empresa de consultoria. Já atendeu mais de 40 empresas e profissionais liberais que desejavam organizar e reestruturar seus negócios ou carreiras, além de contribuir na criação de novas empresas ou na definição de novos caminhos para quem deseja mudanças.

Leia também
## 
Sua carreira vai existir em 2020?
## 4 verdades sobre empreendedorismo e organização de  negócios
## Empreendedorismo feminino: dois erros que você pode evitar

Share

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *