E se por um instante pudermos calar o “E se…”, “Por que…” e o “Mas se…” de nossas mentes? | Por: Lyziane Menezes, alquimista

 “O sistema de crenças é como o Livro da Lei que regula nossa mente. Tudo que estiver escrito nele é nossa verdade inquestionável. Baseamos nossos julgamentos segundo suas páginas, ainda que esses julgamentos e opiniões sejam contrários à nossa própria natureza.

Existe algo em nossa mente que julga a tudo e a todos, incluindo o tempo, o cão, o gato… tudo. O Juiz Interno usa o que está escrito no Livro da Lei para julgar o que fazemos e o que não fazemos, o que pensamos ou deixamos de pensar, além do que sentimos e deixamos de sentir.

Tudo vive sob a tirania desse Juiz. Todas às vezes que fazemos alguma coisa que vai contra o Livro da Lei, ele diz que somos culpados, que precisamos ser punidos e que deveríamos nos envergonhar. Isso acontece muitas vezes, dia após dia, ao longo de todos os anos que vivemos.

Existe outra parte de nós que recebe os julgamentos: chama-se Vítima. A Vítima carrega a culpa, a responsabilidade e a vergonha. E também a parte de nós que lamenta: “Coitado de mim, não sou bom o bastante, não sou inteligente o suficiente, não sou atraente, nem digno de amor, pobre de mim.” O grande Juiz concorda e diz: “Sim, você não é bom o suficiente.”

Tudo isso é baseado num sistema de crenças que não chegamos a escolher. Essas crenças são tão fortes que, mesmo anos mais tarde, depois que fomos expostos a novos conceitos e tentamos tomar nossas próprias decisões, descobrimos que elas ainda controlam nossas vidas.”

Fonte: Os Quatro Compromissos, por Don Miguel Ruiz.

 

Hoje nossa reflexão é sobre Crenças. Definição pela Wikipedia: “Crença é o estado psicológico em que um indivíduo adota e se detém a uma proposição ou premissa para a verdade, ou ainda, uma opinião formada ou convicção.“

Verdades, opiniões e convicções: alguns apresentam mais, outros menos, mas todos as temos. E onde isso tudo “vive” dentro de nós? Na mente. E como essa mente se expressa? Por meio da personalidade, que é a consciência condicionada pelos conceitos que trazemos em nosso sistema de “corpo-mente-espírito”.

Compreendo crenças como uma espécie de lentes pelas quais aprendemos a sentir a vida. Permeia o que entendemos como sabores, sons, cheiros, visão, atenção, conhecimentos, toque… tudo. Assim como fazemos com óculos (que uso desde meus 15 anos, aliás!), de tempos em tempos, somos chamados a fazer uma espécie de manutenção nelas.

Talvez nos ciclos da natureza, o outono e a primavera, nos sejam oferecidos exatamente para isso, para que tenhamos esse espaço entre um ciclo e outro para estas contemplações, revisões, tomadas de consciência etc. Mas, como estamos sempre atarefados(as), atrasados(as) e “na correria”, não nos damos conta deste movimento sutil. É tão fácil nos distrairmos.

🍂 E se, por um instante pudermos calar o “E se…”, “Por que…” e o “Mas se…” de nossas mentes? Quem você seria se conseguisse calar essas vozes?

Ao tirarmos conclusões utilizando a voz do nosso “Juiz” interno, podemos entender ou interpretar as coisas equivocadamente, levando-as para o lado pessoal, criando assim grandes conflitos ou sofrimentos à toa. Observe sua capacidade de fazer perguntas ao que não compreende e de escutar as respostas que recebe.

🍂 Como é para você ser alguém que pergunta – ao invés de ser alguém que tem ou dá as respostas?

Atenha-se apenas à realidade imediata e concreta. Seja sempre claro(a) e transparente, e exija que os outros também o sejam, ignorando o que há de nebuloso ou mal explicado.

Simplicidade. Silêncio. União. Amor. Paciência. Humildade. Equanimidade. Vamos continuar firmes nesse propósito?

Com amor, Lyzi.

Por Lyziane Menezes
Terapeuta, Professora e Empreendedora, apaixonada por
Florais Alquímicos, Astrologia e Meditação ThetaHealing®.

Outros textos da Lyziane no site:
Como a Lua influencia na minha personalidade?
Como se manter em equilíbrio diante dos desafios no trabalho
Caminhos para mudar nossa energia

As possibilidades de cura para mulheres
Como os florais podem ajudar quem está tentando engravidar

Share

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *